Venda de cotas no Hard Rock Hotel Fortaleza começam em três meses

O Complexo Hard Rock Hotel Fortaleza terá parte das unidades comercializadas no sistema fractional, de cotas compartilhadas. As vendas começam dentro de três meses, conforme adiantou o fundador, acionista e CEO da Venture Capital Investimentos (VCI), grupo responsável por trazer a marca ao Brasil, Samuel Sicchierolli. Apesar do nome, o equipamento ficará na Praia da Lagoinha, no município de Paraipaba, a 100 km de Fortaleza. A inauguração está marcada para agosto de 2020.

O conceito, comum nos Estados Unidos, ganha força no Brasil e permite que uma pessoa adquira uma fração do imóvel para usar por determinado período todos os anos. Podem ser duas, quatro ou oito semanas, por exemplo, com serviços de hotelaria, e ainda fazer intercâmbio com resorts da rede. O Hard Rock Hotel está em 177 cidades de 69 países.

Na prática, o usuário estaria adquirindo um apartamento para usar por um tempo, mas sem ter de arcar com os custos de manutenção, como condomínio e energia. Outras pessoas também podem utilizar o mesmo imóvel em épocas diferentes, caso adquiram a fração.

O primeiro lote de cotas de duas semanas virá com preços entre R$ 80 mil e R$ 200 mil, dependendo do tamanho da unidade e quantidade de serviços inclusos. “Começamos a pré-venda em 45 dias para alguns clientes vips e depois vamos abrir, em três meses, as vendas para o lançamento”, afirma Samuel.

O projeto do Hard Rock Hotel Fortaleza, o primeiro no Nordeste, prevê 227 quartos e 174 unidades residenciais. Os quartos são faturados pelo modo tradicional de diárias, mas 70% será comercializado pelo sistema fractional. As casas têm tamanho médio de 300 m² e os apartamentos de 100 m².

O complexo contará com cinco restaurantes internacionais, auditório de 1.322 m² para o mercado corporativo, experiências características dos hotéis da marca como Rock Spa, Lobby Bar, Grab N’ Go, um Body Rock Fitness Center e uma Rock Shop, além de heliponto e uma praça inspirada no lendário Festival de Woodstock, com pontos para fotos.

Atualmente, o empreendimento está com 65% das obras de estrutura concluídas e 42% da parte de alvenaria. O investimento previsto é de R$ 178 milhões, fora aquisição do terreno, cujo valor não foi divulgado. Samuel ressalta que um dos diferenciais é que toda a operação será feita diretamente pelo grupo norte-americano Hard Rock. “No Brasil, apenas Rio de Janeiro e São Paulo têm algo similar. Aqui no Nordeste será a primeira operação de uma rede deste porte”, diz.

Ele também declarou estar bastante satisfeito com a repercussão do empreendimento. “Estamos sendo muito demandados por empresas interessadas em fazer parcerias. De bebidas, refrigerante, telefonia, que querem estar lá ou patrocinar shows. Tem uma demanda interessante para associar suas marcas ao projeto”.

Comentários